Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \01\UTC 2014

IMG_9583IMG_9601

Noiva

Noiva


Vamos começar pelo casamento.

Ohhh o casamento…
Fiquei tão estressada, tão estressada às vesperas da cerimônia, que no dia D estava gripada, sem voz e em prantos. Tanto para fazer, e tantas preocupações, tão pouco tempo… Já não comia, não dormia, imunidade baixou e fiquei bem ruinzinha. Mas passada a agonia, devo dizer que deu tudo certo! Foi uma festa linda, majestosa, repleta de amor.
Foi uma festinha pequena, 80 convidados apenas, muita gente ficou fora da lista (e eu morrendo de vergonha de olhar pra cara delas depois), mas enfim, era essa a proposta, um mini wedding só para os mais chegados, aqueles que acompanharam nossa relação do início. Foram só dois casais de padrinhos, uma daminha e a minha filha entrando no colo da sogra trazendo as alianças. Tudo bem clean. Cedo.
Entrei antes das 18 horas na igreja da Conceição da Praia, depois do meu motorista português (o amigo Nuno Silva) se perder pelas ruas do Pelourinho e ser ajudado pela polícia. Era pra ter sido mais cedo, mas algumas pessoas estavam atrasadas e eu queria todo mundo lá dentro. Ao chegar na porta da igreja, me emocionei e achei que a maquigem de Kal Nascimento ia descer pelo ralo! kkkk (O Kal é um velho conhecido, e agora está no GNT no programa Desafio da Beleza, talentosíssimo.) Respirei fundo, engoli o choro e me preparei.

De início, eu não fazia nenhuma questão de me casar dentro da igreja. Eu sou católica, acredito em Deus, mas acho que esse mercado é muito duro com quem não quer gastar. As igrejas metem a faca, os padres idem, e todo o resto do mercado de casamento, nem se fala. É tudo muito caro. Só que meu marido fez questão, ele queria muito receber o sagrado matrimônio, então… vamos lá… Admito que que nada se compara a sensação de entrar numa igreja para casar. É muito emocionante, iluminado… E naquela igreja então… Aff queimei a língua, porque valeu cada centavo. Por isso, recomendo. Igreja faz toda a diferença sim!!

Mas agora deixa eu passar pra parte afiada do negócio. O mercado de casamento. Êta mercado, viu??? É preciso pesquisar MUITO, bater de porta em porta, pedir mil orçamentos, checar afinidades com os fornecedores. Tem gente que se acha demais, cobra demais e não faz nada além do que seus concorrentes mais humildes. A gente se empolga com o marketing da galera, mas a verdade é que dá para economizar até 50% pesquisando. E pechinche. Sempre dá pra fazer por menos, se pagar à vista.
Tive fornecedores incríveis. Vou citar alguns aqui, não dá pra falar de todos! No meu caso, deu tudo muito certo!!

Minha fornecedora número 1: Minha assessora e cerimonialista Ana Flávia Casé (essa de preto na foto acima). Muita gente questiona esse serviço e o considera supérfluo. NÃO É!!! Se essa pessoa não cuidar dos seus pepinos, vai sobrar tudo pra noiva! Já pensou, no dia do casamento, cai aquela chuva e você entre uma massagem e a maquiagem precisa achar e contratar um toldo de urgência? Isso não é de Deus!! Deixe todos os pepinos para a assessora!!! Sobrou comida? Ela ajuda a estocar. O fornecedor está atrasado? Ela dá pressa. Minha gente, é uma mão na roda. Ah, como deu certo! Conheci a Ana Flávia gravando matéria para o Mosaico e a empatia foi imediata! Ela foi tudo de bom!

Quem cuidou da minha decoração foi o fofo do Maurício Kurihara, que me indicou outro fofo (e louco) para cuidar da minha iluminação: o Ricardo Freitas. Duas criaturas nota 10, super antenados, talentosos, e responsáveis! Maurício pra mim é hoje dos melhores decoradores de Salvador, além de ser uma pessoa zen (muito importante, porque a gente fica histérica). Resolveu coisas que nem eram da obrigação dele. E Ricardo, figuraça, deixou minha festa toda linda, com uma luz de primeira, super econômica e nem precisei de gerador. E o seu DJ também, muito bala. O Cris animou geral. Vou deixar claro que contratei essa turma, não estou aqui permutando elogios (quem dera), mas acho que o que é bom precisa ser elogiado.

Meus vestidos (os dois) foram da Elizabeth Noivas. Vou contar um segredo… Eu vesti todos os vestidos de noiva de Salvador! kkkk Ou quase isso! Fui em todas as lojas, mas me encantei com o atendimento das meninas da Elizabeth. Vou contar um caso épico, do qual deveria me envergonhar, mas agora que agonia passou podemos rir dele. Véspera do casamento: sem dormir, sem comer, atrasada pra tudo, estressada. Bato o carro na frente da loja… E lá vem dona Elizabeth me salvar. Eu, em prantos, e ela e Claudete me botando no colo para me acalmar. Não só me deram água com acúcar como almoço!! É isso mesmo! Me vestiram num roupão, me botaram pra dormir e me deram comida! Eu estava um lixo e saí de lá novinha em folha! Anjos da guarda, onde a gente encontra gente assim no mercado???

Minhas sandálias foram da Sabrinas. A Priscila, mesmo recém parida, não desgrudou do meu pé (junto com a Débora) para garantir que elas iam sair exatamente como eu queria. E ficaram lindas e prontas bem antes do prazo, embora eu tenha feito a encomenda super em cima da hora.

Bolo. Gente, bolo é um negócio inacreditavelmente caro. Eu, que sou meio pão dura, já tinha decidido cortar o bolo do casamento. Juro. Eu não entendia como um simples bolo poderia custar mais de 2 mil reais. Respeito o trabalho das artesãs, mas peraí!! É uma maquete! É um bolo! Não dá pra gastar tudo isso num bolo. Eu não queria nada de 5 andares, porque minha festa, como já disse, era mini. Então achei um bolo delicioso e com preço justo. Compartilho com vocês o nome dela: Conça Galvão. Ficou show!

É sem dúvida uma festa inesquecível, que passa muito rápido, e que deixa saudades. No dia da sua, aproveite cada minuto!

Vou ali gravar matéria, mas volto pra contar mais novidades…

Beijos

Read Full Post »